Login

Reflexões sobre o Suicídio – causas e formas de prevenção

IMAGEM 6O Sindicato dos Policiais Federais da Paraíba e a Superintendência da Polícia Federal agradecem às Psicólogas Magdeliny Lima e Patrícia Simplício pela brilhante palestra. 

Aos que não puderam comparecer, as palestrantes elaboraram um excelente resumo sobre o assunto tratado no evento e que segue abaixo.

 

O suicídio pode ser definido como todo caso de morte que resulta, direta ou indiretamente, de um ato executado pela própria vítima, caracterizando ato voluntário de colocar fim a própria vida.

IMG_20151118_101820037_HDROs fatores de risco que colaboram à consumação do suicídio são:fatores psicológicos, tais como perdas recentes, pouca resiliência, personalidade impulsiva e agressividade; fatores de condição de saúde limitantes, a exemplo de dor crônica, tumores malignos, trauma medular e doenças neurológicas; fatores relacionados aos transtornos mentais como síndrome do pânico, esquizofrenia, transtorno bipolar, alcoolismo depressão; e fatores sociais com perfil de sexo masculino, desempregados e aposentados, solteiros, separados e viúvos, com idade entre 15 e 30 anos e acima dos 65 anos.

IMAGEM 3Para fins de estudos, compreensão e investigação, o suicídio deve ser entendido como um fenômeno multicausal, relacionado à questões culturais, psicológicas, ambientais, religiosas, constitucionais e relacionais. O comportamento suicida pode ser classificado em três categorias: ideação suicida (pensamentos, ideias e desejo de tirar a própria vida), tentativa de suicídio (idealização de planos e estratégias para execução do suicídio), e por fim o suicídio consumado.

Estima-se que, mundialmente, cerca de 800 mil pessoas cometeram suicídio no ano de 2012, aferindo uma média de uma morte a cada 40 segundos. Atualmente o suicídio é considerado a 2ª maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo. Analisando dados estatísticos sobre o suicídio no Brasil, estudos apontam que o país ocupa o 8º lugar no mundo em casos de suicídio, estimando 10 mil casos ao ano de suicídios consumados, com prevalência do sexo masculino. Os dados revelam ainda que cerca de 17% da população brasileira em algum momento de sua vida já pensou em suicídio. Pesquisas e levantamentos realizados pela Federação Nacional dos Policiais Federais revelam que, nos últimos 16 anos, ocorreram 42 suicídios entre Policiais Federais no Brasil. Dos casos registrados, foram 8 ocorrências de suicídio de 1999 à 2004; 10 casos registradosde 2005 à 2009; 24 suicídios consumados e 7 tentativas de 2010 à 2015. Destacando-se o ano de 2012, onde ocorreram 8 casos de suicídio consumados.

IMAGEM 5Segundo os dados apresentados pela Federação Nacional dos Policiais Federais, o perfil do Policial Federal que cometeu suicídio nos últimos anos é o seguinte: ocupa a função de Agente de Polícia Federal, sexo masculino, idade de 30 a 39 anos, com tempo de serviço de 5 a 14 anos. Como causas para o suicídio entre os policiais federais, estudos apontam: depressão, problemas familiares, stress, alcoolismo, assédio moral, lutas corporativas, condições precárias de trabalho, desvalorização profissional, entre outras.

Diante da realidade apresentada, e sendo a PF uma profissão de risco iminente de morte, que trabalha sob forte pressão psicológica, faz-se necessário um olhar integral para seus profissionais, enxergando-os em seus aspectos relacionais, sociais e psicológicos, visando contribuir assim para sua saúde e melhor qualidade de vida no trabalho, bem como a prevenção de transtornos psíquicos que possam levar ao ato suicida.

IMG_20151118_115700032Através de um olhar holístico para realidade do suicídio é que a prevenção se alinha como principal ferramenta a seu combate. Podemos destacar como meios de prevenção ao suicídio: encorajar a pessoa com ideação ou transtornos mentais a procurar ajuda profissional (Psiquiatria e Psicologia), criar proximidade com a pessoa que apresenta ideação suicida sem se colocar em risco, permitir a expressão de sentimentos, padronizar os registros de atos suicidas, ampliar a rede de atendimento e acompanhamento nas redes de saúde, aumentar o conhecimento sobre o fenômeno suicida de maneira integral, reforçar o apoio familiar, realizar diagnóstico precoce de transtornos ligados à depressão e ao alcoolismo.

IMAGEM 4A Organização Mundial de Saúde destaca a necessidade de se criar políticas de saúde pública visando desmistificar o tema, contribuindo assim para prevenção e diminuição do número de casos de suicídio.

Assim, conhecer o fenômeno do suicídio, suas causas e formas de prevenção constituem meios eficazes para diminuir sua prevalência.

 

Por Magdeliny Lima – Psicóloga (CRP 13/3823)

 

 

Cristovão Goes

Agente Federal - Especialista em Segurança Pública e Ciências Criminais. Diretor Parlamentar do Sinpef/PB.
SINPEF     PARAÍBA
    • Endereço

      Rua Major Ciraulo, 395, Manaíra
      João Pessoa/PB
      Fones:
      (83) 98828-2234
      (83) 3247-4325
      (83) 3247-2825

      SIGA-NOS